Nova versão topo de linha será lançada em breve com apelo visual de picapes médias tradicionais

A Toro tem sido um grato sucesso para a Fiat numa época em que a marca amarga o 3º lugar no ranking geral de vendas. Praticamente única no mercado (a Oroch da Renault é menor e mais simples), picape com chassi monobloco já emplacou mais de 32 mil unidades até julho, volume muito superior ao da picape média mais vendida, a Toyota Hilux (20,5 mil no mesmo período).

Seus diferenciais como dirigibilidade mais apurada, conforto e uma pegada mais urbana agradaram muita gente que queria um veículo com caçamba mas não abria mão de ter um automóvel na prática. Mas a Fiat não está satisfeita e agora prepara uma nova versão da Toro, a Ranch (Rancho em inglês) que deve estrear em breve.

Trata-se da futura versão mais equipada e cara da picape, que ficará acima da Toro Volcano, hoje a topo de linha com preço de R$ 142.990. Como diferenciais estão justamente elementos que remetem mais a um visual para fazendeiros, grandes admiradores de picapes.

Imagens de um exemplar da Toro Ranch circulam nas redes sociais e mostram que a picape utiliza a mesma base mecânica da Volcano, um motor turbodiesel 2.0 com câmbio automático de 9 velocidades mas traz retrovisores externos cromados, estribos laterais e rack de teto além de santantonio com a inscrição lateral “Toro”.

Por dentro a novidade é uma central multimídia com tela maior, bancos em couro na cor marrom e com a inscrição “Ranch” e ar-condicionado digital.

Claro que não é apenas um visual mais “rancheiro” (me perdoem o trocadilho) que vai convencer alguns proprietários de picapes tradicionais, com tração traseira (além de 4×4) e chassi separado da carroceria, a mudar de opinião em massa, mas com a Ranch a Fiat pode ao menos aproximar sua picape de um público que se identifica mais com estradas de terra e o uso no campo. Não custa tentar ampliar ainda mais as já impressionantes vendas da Toro.

Fonte: Autoo