Rapaz de 25 anos tentou fugir; ele estava em uma casa, em Guarapuava, quando foi detido

Bruna Bronoski/RPC

O suspeito de atirar e matar uma criança em Pinhão, na região central do Paraná, foi preso na noite de terça-feira (31), de acordo com a Polícia Militar (PM). Ele estava em uma casa, no bairro Boqueirão, em Guarapuava, outro município da região central, quando foi detido.
O rapaz de 23 anos tentou fugir e acabou tendo escoriações no rosto, pois, conforme a PM, os policiais precisaram usar força para impedir a fuga. Há ainda outro suspeito de ter participado da tentativa de assalto, mas, até o momento não foi localizado.

As armas utilizadas – uma faca e um revólver – não foram encontradas, segundo a PM. A prisão foi realizada durante uma operação da PM e da Polícia Civil. O suspeito foi levado de Guarapuava para a Delegacia de Pinhão.
Na residência onde ele estava, havia outro homem, um jovem de 18 anos, que tinha um mandado de prisão em aberto por homicídio. Ele foi preso. A suspeita é de que tenha matado dois adolescentes em um bar de Pinhão em agosto deste ano.

Continua depois da publicidade

Um garoto de 17 anos também estava no casa. O adolescente prestou depoimento, contudo, não foi informado se ele foi apreendido. A polícia investiga se ele está envolvido no crime do bar.

A tentativa de assalto
O menino de 11 anos morreu em uma tentativa de assalto na zona rural de Pinhão, na noite de segunda (30).
De acordo com a PM, pouco depois das 21h de segunda-feira dois ladrões encapuzados e armados com faca e revólver invadiram a casa da família, no bairro Bitur.
Quando eles deram voz de assalto, o pai das vítimas, de 60 anos, tentou desarmar o suspeito que estava com a faca. Os filhos buscaram ajudar. Foi, então, que o outro criminoso atirou contra os irmãos.
Depois dos tiros, a dupla fugiu sem levar nada.

Os irmãos foram levados de carro ao Hospital Santa Cruz por uma irmã, de 25 anos, que também estava em casa no momento do crime.
Contudo, segundo a PM, o menino chegou ao hospital sem vida. O adolescente foi atendido no hospital e recebeu alta logo depois.

Fonte: G1