Borracha custou R$ 0,25 em uma loja e R$ 11,75 em outra.

O preço de um material escolar pode variar até 4.600% em Ponta Grossa, na região dos Campos Gerais do Paraná, de acordo com uma pesquisa da Coordenadoria de Proteção e Orientação ao Consumidor (Procon).

Essa variação foi no preço da borracha, que custou R$ 0,25 em uma loja e R$ 11,75 em outra. A pesquisa foi divulgada na quarta-feira (11), no site da prefeitura, e durou uma semana. Seis estabelecimentos da cidade participaram.

Continua depois da publicidade



Em 2018, diferente dos outros anos, o Procon avaliou os materiais escolares independentemente das marcas. A intenção, de acordo com a órgão, é mostrar para o consumidor que o preço de um mesmo produto pode apresentar grande variação, ainda que na mesma loja.

Além da borracha, o Procon analisou os preços dos seguintes materiais escolares: apontador, caderno, canetas esferográfica e hidrográfica, colas em bastão e líquida, giz de cera, lápis preto e colorido, lapiseira, marca texto, massa de modelar, papel sulfite, régua e tesoura.

O apontador apresentou uma diferença de 4.150% nos valores, sendo comprado por R$ 0,30 em um comércio e a R$ 12,75 em outro. Já o lápis preto teve uma variação de 2.625%, custando entre R$ 0,20 e R$ 5,45. O caneta esferográfica subiu de R$ 0,50 para R$ 11,70 de uma loja para outra.

Conforme o Procon, as variações de preços constatadas são referentes aos dias em que a coleta foi realizada. Os preços indicados estão, portanto, sujeitos a alterações conforme a data da compra, inclusive, por ocasião de descontos especiais, ofertas e promoções.

Dicas
Veja dicas do Procon para economizar na compra do material escolar:

1. Antes de ir às compras, verifique quais itens você já tem em casa e condições de uso. Não gaste mais do que o necessário, comprando produtos que já estão disponíveis;

2. Verifique as listas: as escolas não podem exigir qualquer material de uso coletivo, em particular materiais de escritório, de limpeza ou de higiene.

Continua depois da publicidade



3. Faça grupos: alguns estabelecimentos oferecem descontos para compras em quantidade. Se vários pais de uma mesma escola comprarem em conjunto, todos podem economizar.

4. Procure kits promocionais: mesmo na época de maior procura por materiais escolares, alguns estabelecimentos oferecem kits com os itens mais procurados e a preços interessantes.

5. Verifique se o estabelecimento tem preços diferenciados para pagamento em cartão de débito, crédito ou em dinheiro. Se optar pela forma que oferece descontos, pode estar garantindo uma economia significativa.

6. Avalie sempre a qualidade e a procedência dos produtos: não acredite em ofertas milagrosas de vendedores informais. Exija sempre a Nota Fiscal. Além de evitar a sonegação, o consumidor garante os seus direitos em caso de reclamação posterior.

Fonte: G1