Auditores conferiram notas fiscais, estoques em tanques e dados nas bombas para identificar irregularidades

Estabelecimentos notificados terão dez dias para apresentar defesa — Foto: André Salamucha/RPC
Estabelecimentos notificados terão dez dias para apresentar defesa — Foto: André Salamucha/RPC

A Receita Estadual do Paraná encerrou nesta quarta-feira (10) a primeira etapa de uma operação que fiscaliza a venda de combustíveis no estado. A operação começou na segunda-feira (8), de acordo com a Receita.

A ação foi feita nas regiões das nove delegacias, em Curitiba, Ponta Grossa, Guarapuava, Cascavel, Jacarezinho, Maringá, Londrina, Umuarama e Pato Branco.

O objetivo é combater a sonegação de impostos e a competição desleal. Segundo a delegada regional da Receita Estadual de Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná, Andrey Grubba, isso ajuda a garantir que o consumidor compre combustível de melhor qualidade.

“Os postos são obrigados a ter a nota fiscal de entrada da mercadoria. Então, aqueles que não apresentam a nota fiscal, não se sabe a origem desse combustível”, disse.

Os auditores também fazem medições nos tanques dos postos de combustíveis para conferir o estoque, além de verificarem dados nas bombas.

Conforme a Receita, o trabalho confere se os dados correspondem com os valores declarados nas notas fiscais de compra e venda emitidas por postos de combustíveis e distribuidoras.

O resultado da vistoria será divulgado na segunda etapa da operação nas próximas semanas. De acordo com a Receita Estadual, se alguma irregularidade for comprovada o proprietário do estabelecimento será notificado.

Empresários que receberem a notificação da Receita Estadual terão dez dias úteis para apresentar uma defesa. Caso não a façam, poderão ser multados, além de terem que pagar o imposto devido.

Um balanço final deve ser divulgado nas próximas semanas, conforme a Secretaria da Fazenda do Paraná (Sefa).

Auditores fizeram medições em tanques de combustíveis para checar estoques de postos — Foto: André Salamucha/RPC
Auditores fizeram medições em tanques de combustíveis para checar estoques de postos — Foto: André Salamucha/RPC

Fonte: G1