O maior perdedor destas eleições para a Presidência da República foi Luiz Inácio Lula da Silva

Entrou no processo eleitoral preso em Curitiba, onde já cumpriu sete meses dos 12 anos e um mês da pena a ele imputada por corrupção, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha e continua na cadeia. Ídolo nacional até quatro anos atrás, Lula viu seu reinado ruir e tentou, de todas as formas, continuar comandando a política nacional de dentro da cadeia. Não conseguiu.

Foi uma sucessão de erros, com pitacos de pessoas desqualificadas, sem condições de comandar um partido do nível do PT e sem noção de como funciona a política no país, num Congresso Nacional que mais parece um serpentuário. Foram movimentos de “Lula livre”, acampamentos em frente a Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, ações junto à ONU e sem qualquer convencimento de que, efetivamente, ele era réu e, por isso, deveria pagar pelos seus erros.

As palavras de ordem que soavam nos quatro cantos do Brasil eram de “golpe”, “preso injustamente”, “preso político” sem, entretanto, observar as leis, onde vários colegiados de juízes e ministros da corte máxima foram soberanos em suas ações, após o contraditório e a defesa que não conseguiu ganhar nenhuma das dezenas de ações propostas.

Lula foi à lona. E deverá sofrer mais consequências sobre seus atos, considerados ilícitos, a partir do dia cinco de novembro quando o juiz federal Sergio Moro retoma o processo do sítio de Atibaia, supostamente de propriedade do ex-presidente e que passou por reformas com dinheiro fruto de propina. Lula, portanto, terá mais longos e longos dias difíceis pela frente e podem ter certeza de que as visitas que recebia com frequência de lideranças do partido e correligionários irão diminuir e ficará cada vez mais no ostracismo, na solidão.

É um triste fim para um homem que revolucionou a área social do país, considerado “o cara” por Barack Obama e idolatrado por professores e estudantes. Lula, que merecia uma estátua, acaba sendo um dos homens mais atacados no país e se teve alguém culpado pela vitória do capitão e grosseiro Jair Bolsonaro à Presidência do Brasil, essa pessoa chama-se Luiz Inácio Lula da Silva.

Fonte: Paraná Portal