Quem nunca sentiu ciúme em algum momento de sua vida?

É provável que você não lembre, mas em uma idade precoce, as pessoas têm ciúmes dos pais, irmãos e amigos, até que se atinja a maturidade: aí sentimos ciúmes do parceiro e dos filhos.

É natural zelarmos pelos nossos entes queridos porque tememos a perda deles. No entanto, o ciúme pode se tornar doentio (patológico) e transformar a vida das pessoas em um verdadeiro inferno.

O que significa estar sofrendo de ciúme patológico
?
Que há uma dependência emocional em relação ao outro. O ciumento se torna paranoico e sofre com suas interpretações da realidade que não coincidem com a própria realidade. Sente ansiedade, raiva ou medo o tempo todo diante da possibilidade de que o ente querido deposite seu afeto em outra pessoa e produza um deslocamento.

Continua depois da publicidade



No caso de relacionamentos amorosos, o psicólogo social Luis Buero afirma: “A presença de uma terceira pessoa, real ou imaginária, gera uma situação de alarme e isso é normal porque, do contrário, não haveria interesse no outro. Mas há pessoas que preferem que seu parceiro não tenha um relacionamento íntimo com mais ninguém.

Substância alucinógena melhora saúde mental de pacientes com câncer
Dois estudos mostram que uma dose única de psilocibina, presente em cogumelos alucinógenos, alivia significativamente o sofrimento psicológico de pacientes

Pesquisadores identificam “impressão digital” do cérebro
Cientistas descobriram como identificar conexões estruturais no cérebro que são únicas em cada indivíduo.

Inflamação no fígado é associada ao consumo de energético
Segundo os pesquisadores, o caso serve como um alerta sobre o consumo excessivo.
Quando o ciúme é acompanhado de um sentimento de insegurança, autocomiseração, hostilidade e depressão, danifica a qualidade de vida do casal e pode ser muito destrutivo. Essas pessoas sentem que a perda de seus parceiros seria terrível, insuportável. Por isso tornam-se controladoras, vigilantes, asfixiantes, inseguras, depressivas e dependentes.

O pacto secreto que constroem é ‘eu te dou tudo, mas você também me dá tudo, senão, será uma pessoa má e deverá ser punido’. Disso à violência é um passo e, embora esse tipo de comportamento seja mais comum entre homens, nada indica que o ciúme patológico seja exclusividade deles.”

Como identificar uma pessoa doente de ciúme
1. A pessoa odeia todos que rodeiam seu parceiro: amigos, colegas, familiares, especialmente do sexo oposto.

2. Revisa com frequência os objetos pessoais do parceiro, como o telefone celular, a carteira e a bolsa, além de checar seus perfis nas redes sociais. Cheira as roupas em busca de um perfume diferente.

3. Tem uma autoestima abaixo do normal.

4. Tem uma personalidade dominante e quer controlar tudo ao seu redor. Quando o parceiro está distante, sofre porque não pode exercer seu controle.

Continua depois da publicidade



5. Seu ciúme geralmente é infundado. Inventa provas para mostrar ao parceiro.

Como lidar com o próprio ciúme
1. Lembre-se de outras vezes em que teve algum tipo de suspeita a respeito do parceiro e nada do que temia aconteceu.

2. Avalie a possibilidade de fazer terapia de casais; funciona muito bem, principalmente quando se chega a um extremo irracional.

3. Saia com seu parceiro para se divertir com amigos, familiares e colegas, para que ambos sintam que participam da vida social um do outro.

4. Reflita sobre as situações desagradáveis que o ciúme já causou a você e a seu parceiro.

5. Tenha algum hobby ou pratique algum esporte para dispersar a mente e recarregar as baterias.

Como lidar com o ciúme alheio
Dê ao casal os cinco conselhos acima, recomende um bom terapeuta e vá embora. É melhor não se envolver em relacionamentos doentios, que podem ser difíceis de sair.

Fonte:Pablo Huerta

Gestor de SMS