Mulher que ganhou carona da PRF para passar por transplante morre no hospital


Foto: BDCom PRF – 3º Del. Ponta Grossa

Morreu, nesta quarta-feira (1º), a mulher que ganhou uma carona da Polícia Rodoviária Federal (PRF) para chegar a tempo de um transplante de rim. Há 13 dias, Silmara Aparecida da Silva, de 55 anos, passou pelo procedimento cirúrgico e estava internada no hospital do Rocio, em Campo Largo, na Região Metropolitana de Curitiba.

Moradora de Ponta Grossa, Silmara estava na fila para um transplante de rim quando foi avisada, no fim da tarde do dia 18 de abril, que o órgão estava disponível. Para conseguir fazer o transplante ela tinha que chegar rápido ao hospital.

A mulher então teria que percorrer cerca de 90 km até a unidade hospitalar. Na data, em função do feriado de Páscoa, o trânsito era intenso sentido Curitiba. Foi então que a PRF entrou na história e realizou o deslocamento da paciente rapidamente.

No mesmo dia ela passou pela cirurgia, que durou oito horas. Ela seguia internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em recuperação. Na noite da última terça-feira (30), ela teve uma complicação com quatro paradas cardiorespiratórias, chegou a ser reanimada, mas morreu na madrugada do dia 1º.

De acordo com a família, Silmara lutava contra uma insuficiência renal há 13 anos. Já tinha passado por diversos tratamentos e várias cirurgias. Ela já havia passado por um transplante de rim há oito anos, mas teve rejeição do órgão.

Fonte: Paraná Portal

1-1 PG ELETRIBEL
2-2 PG - Infotech
3-2 PG - Espaço Regional