Eva Wiley, de 31 anos, do Texas, nos Estados Unidos, descobriu que é filha do médico responsável pela fertilização da sua mãe, Margo Williams. Em entrevista à People, ela contou que sua mãe não sabia que estava sendo inseminada artificialmente com o sêmen do profissional.L

“Eu só queria saber o porquê. Eu odeio essa história. Tudo isso é uma merda. Quando conto às pessoas sobre minha história, minhas mandíbulas atingem o chão”, disse Eva.

Margo e seu falecido marido lutaram contra a infertilidade antes de procurarem a doação de esperma no California Cryobank, de acordo com o The Dallas Morning News. “Ele era aquele médico da comunidade que todos respeitavam e confiavam”, disse e ainda reforçou a reputação que ele tinha entre casais que passavam por dificuldades de fertilidade.

Há 14 anos, Eva decidiu encontrar o “Doador 106”, quem ela conheceu posteriormente como Steve Scholl, o homem que teoricamente seria seu pai biológico. “Eu o chamo pai. Dizemos ‘eu te amo’ um para o outro. Nós passamos férias juntos e no meu casamento ele estava lá”, conta ela, que descobriu não ser filha biológica dele alguns anos depois após terem feito o teste genético.

Os resultados mostravam que Eva dividia materiais genéticos compatíveis com o do médico que cuidou da fertilidade da sua mãe. De acordo com a People, o médico respondeu às acusações admitindo ter misturado seu próprio esperma com o do doador após cinco tentativas fracassadas, afirmando ter recebido a permissão para isso. Eva contrariou a afirmação do médico e nega que sua mãe tenha permitido isso.

No Texas, cidade em que Eva mora, o ato não é considerado um crime. Atualmente, a jovem está buscando outras pessoas que passaram pela mesma situação e se reunindo com profissionais da área judicial para categorizar esse tipo de fraude como violência sexual.

Fonte: Marie Claire

1-1 PG ELETRIBEL
2-2 PG - Infotech
3-2 PG - Espaço Regional