Mano Menezes foi o único técnico a não convocar Neymar por indisciplina
Mano Menezes foi o único técnico a não convocar Neymar por indisciplina – CBF

É uma questão de justiça.

Nestes nove anos que Neymar frequenta a Seleção Brasileira, houve sim, um treinador que deixou de convocá-lo por indisciplina.

Tem apelido e sobrenome.

Mano Menezes.

No dia 23 de setembro de 2010, o treinador fez a convocação para dois amistosos do Brasil, em outubro, há nove anos.  Os adversários não estavam nem definidos. Seriam Irã e Ucrânia.

“Não queremos ser mais realistas do que ninguém, e nem mais duros do que ninguém. O futebol brilhante dos últimos meses deve ser a marca fundamental de um jogador talentoso como o Neymar.

Se isso voltar a ser a regra, ele será novamente chamado. A volta do Neymar vai depender dele. Espero mesmo que seja circunstancial essa fase.”

A postura de Mano Menezes merece ainda mais destaque porque o polêmico atacante foi muito bem na primeira partida do Brasil pós vexame na Copa do Mundo da África do Sul. Melhor jogador contra os Estados Unidos, marcando até um dos gols na vitória por 2 a 0.

Qual foi o motivo?

absurdo chilique que o jogador teve quando Dorival Júnior não o deixou bater um pênalti contra o Atlético Goianiense. Neymar era jogador do Santos. 

O confronto seguiu entre o atacante e o treinador nos bastidores.

A direção santista optou por ficar do lado de Neymar e demitir Dorival Júnior.

Sim, eram outros tempos.

Neymar não representava nem 10% do que é hoje.

Mas Mano Menezes foi firme.

Inclusive no dia 15 de outubro de 2010, dizendo bem claro que o jogador precisaria mudar suas atitudes.

“Ele precisa saber se comportar mais como um jogador que já passa a ser uma referência para o futebol brasileiro e, logo mais na frente, mundial. É preciso entender que essas coisas acontecem e você precisa sair delas, fazendo as coisas de maneira correta. As últimas atitudes estão indo na contramão dessa correção.

Na seleção ainda é diferente, pois o convívio é muito recente. Mas se permitirmos que isso venha acontecer com tanta frequência no clube, daqui a pouco vai se transferir para a seleção. E eu não estou falando isso em relação ao Dorival, que respeito muito, e não tenho a intenção em me meter em assuntos de dentro do clube. Minha preocupação é com o jogador que está sendo formado”, disse o treinador em entrevista ao jornal O Globo.

O tempo passou, Mano acabou não só chamando, mas apostando todas as fichas em Neymar nas Olimpíadas de Londres.

O jogador teve participação instável e foi omisso na final contra o México. Resultado, o então presidente José Maria Marin, decidiu que Mano Menezes não ficaria na Seleção, chamaria de volta Felipão.

Mas Mano Menezes foi firme em 2010.

Tomou a atitude que deveria.

Respeitou a Seleção e não deu seu aval a um erro lastimável do jovem atacante.

Mano teve o respaldo do presidente da CBF, Ricardo Teixeira.

Mas a lição não valeu.

Os muitos erros do atacante continuam.

Consagrado como um dos melhores do mundo, com tratamento diferenciado por parte da CBF, técnico algum conseguiria barrar Neymar.

Principalmente agora para a disputa da Copa América.

Neymar foi decepcionante na final em Londres. Derrota custou a saída de Mano
Neymar foi decepcionante na final em Londres. Derrota custou a saída de Mano – CBF

Não foi por acaso que Tite, que se posiciona a favor da ética, fugiu das entrevistas hoje, na chegada ao Rio de Janeiro. Não queria falar sobre a agressão de seu capitão a um torcedor na entrega das premiações na final da Copa da França.

Tite não tem o apoio de Rogério Caboclo para não chamar o camisa 10 da Seleção, seu capitão.

O treinador convocará Neymar para a Copa América.

Só espera que os 17 dias até a convocação façam a opinião pública esfriar em relação à absurda agressão em Paris.

Mano Menezes merece crédito.

Tomou a atitude certa em 2010.

Tite não tem o respaldo da CBF para deixar Neymar fora da Copa América
Tite não tem o respaldo da CBF para deixar Neymar fora da Copa América – CBF

Felipão, Dunga e Tite não tiveram a mesma atitude.

Toleraram e o atual técnico tolera a postura mimada, egocêntrica, individualista e narcisista de um homem a caminho de 28 anos e é tratado como menino.

Neymar, agora, é intocável na Seleção deste país.

Faça o que fizer…

Fonte: R7

2-2 PG - Infotech
3-2 PG - Espaço Regional
1-1 PG ELETRIBEL