Juíza atendeu o pedido do Ministério Público (MP) e configurou o crime como estupro

© Reprodução / TV Globo

O vigia que ejaculou em uma mulher em um ônibus no Imirim, Zona Norte de São Paulo, foi condenado a prisão preventiva nesta quarta-feira (28).

De acordo com o G1, a juíza Renata Carolina Cazimiro Braga atendeu o pedido do Ministério Público (MP) e configurou o crime como estupro. A audiência de custódia foi realizada no Fórum da Barra Funda, na Zona Oeste, nesta quinta.

O vigia Rafael Anselmo Alves Lopes, de 31 anos, colocou o pênis para fora da calça, segurou a cintura da vítima e começou a se esfregar. Ela contou que tentou se desvencialhar, mas o vigia não deixava.

O motorista do ônibus chamou a polícia e o homem foi preso e encaminhado ao 38º Distrito Policial, na Vila Amália. O suspeito disse que pegou o ônibus decidido a cometer o crime, pois precisava satisfazer seus anseios sexuais, mas negou ter segurado a mulher.

Rafael foi indiciado por violência sexual mediante fraude. A polícia pediu ainda que o suspeito passasse por exame de sanidade mental, já que ele já tinha cometido crime semelhante em 2015, num vagão do metrô.

Fonte: G1

Gestor de SMS