Escuderia alemã finalmente anuncia renovação com o piloto inglês, tetracampeão mundial da Fórmula 1 e maior vencedor entre os pilotos e disputam hoje a categoria, com 65 vitórias

As conversas duraram meses, mas chegaram a um fim. Lewis Hamilton vai seguir como piloto da Mercedes pelas próximas duas temporadas. Nesta quinta-feira, a escuderia alemã anunciou a renovação do contrato com o piloto inglês, tetracampeão mundial da Fórmula 1. Segundo o jornal “The Guardian”, o valor do contrato será de 40 milhões de libras esterlinas (cerca de R$ 200 milhões) por ano, totalizando cerca de R$ 400 milhões nos dois anos. Assim, ele se torna o esportista britânico mais bem pago do mundo e deve superar até os dois maiores nomes do futebol atual, Cristiano Ronaldo e Messi.

Hamilton chegou à Mercedes em 2013. Desde então, conquistou três de seus quatro campeonatos (2014, 2015 e 2017) e passou a reinar absoluto na Fórmula 1 – antes, em 2008, havia sido campeão pela McLaren. O novo contrato vai até o fim de 2020, quando Hamilton terá 35 anos de idade, oito de Mercedes e 14 de Fórmula 1. A renovação em si já era esperada, mas o anúncio por duas temporadas é uma surpresa, já que nos bastidores se dizia que a renovação seria por três anos. Diante disso, pode ser o último compromisso da carreira do inglês na F1.

– Essa renovação é basicamente uma formalidade desde que eu e Toto (Wolff, diretor executivo da Mercedes) conversamos no inverno. Então, é bom colocar no papel, anunciar e então voltar ao negócio como sempre. Eu nunca fui tão feliz dentro de um time quanto sou agora. Nós estamos na mesma onda tanto dentro quanto fora da pista. E eu estou ansioso para vencer mais no futuro e brilhar ainda mais na estrela de três pontas (símbolo da equipe). Eu estou muito confiante de que a Mercedes é o lugar certo para estar nos próximos anos. Embora tenhamos aproveitado tanto sucesso desde 2013, Mercedes está mais faminta que nunca – disse Hamilton.

Segundo Hamilton, a vontade de vencer de toda a equipe foi fundamental para que decidisse seguir na Mercedes pelas próximas temporadas:

– A paixão competitiva que queima forte dentro de mim é compartilhada por cada membro desse grupo, sempre atrás da próxima melhora e buscando ainda mais para que sigamos no topo. Eu não posso esperar para que nós consigamos atingir sucesso juntos nas próximas duas temporadas e meia.

Toto Wolff e Lewis Hamilton estão trabalhando juntos desde 2013 (Foto: Getty Images)

Como se tivesse combinado com Hamilton o discurso que faria, o chefão da Mercedes, Toto Wolff, jurou que o compromisso entre as partes já estava acertado.

– Assinamos os últimos documentos essa semana e não quisemos fazer as pessoas esperarem mais. Estamos alinhados desde que sentamos para discutir os detalhes desse contrato, depois da última temporada, mas há muitos interesses e especulações sobre todo o processo, então é bom ter isso anunciado – disse Wolff.

Lewis Hamilton conquistou o primeiro título pela Mercedes em 2014 (Foto: Clive Rose/Getty Images)

Em Hockenheim, onde será disputado neste fim de semana o Grande Prêmio da Alemanha, Hamilton afirmou que não havia melhor opção para ele continuar sua carreira, que hoje tem 65 vitórias e 76 poles.

– Estou muito confiante de que a Meredes é o lugar certo para estar nos próximos anos. Apesar de termos conseguido muito sucesso juntos desde 2013, a Mercedes está mais faminta do que nunca – finalizou Hamilton, vice-líder do Mundial deste ano a 18 pontos de Sebastian Vettel.

Em relação à outra vaga da Mercedes para 2019, espera-se que o time anuncie a renovação com o finlandês Valtteri Bottas, que é companheiro de Hamilton desde o ano passado e conquistou três vitórias no período, nenhuma este ano.

Fonte: GE / F1

1-1 PG ELETRIBEL
2-2 PG - Infotech
3-2 PG - Espaço Regional