São imóveis repassados gratuitamente para famílias carentes, condomínios para idosos e moradias financiadas pelos menores juros do mercado.

Presidente da Assembléia Legislativa, deputado Ademar Traiano, governador Ratinho Júnior, e os prefeitos Caetano Alievi (Manfrinópolis) e Helton Pfeifer (Salgado Filho). Foto: Rodrigo Felix Leal/ANPr

O governador Carlos Massa Ratinho Júnior (PDS) confirmou mais 1.494 novas casas populares para moradores de 33 municípios paranaenses (seis do Sudoeste). São imóveis financiados, casas repassadas gratuitamente a famílias de baixa renda e condomínios para pessoas idosas. O investimento é de R$ 118 milhões, com recursos do Tesouro Estadual, por meio do Programa Habita Paraná, e de financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

“É uma iniciativa social do Estado para atender quase 1,5 mil famílias do Paraná. Nosso compromisso é atender as pessoas que sonham com a casa própria”, afirmou o governador. Ele destacou que os projetos na área da habitação também contemplam a regularização fundiária, que já atendeu mais de mil famílias neste ano. “É todo um pacote com um olhar social para atender as pessoas que mais precisam. São várias categorias, conforme a renda da pessoa”, disse o governador.

“Um dos programas é para atender os idosos, que já não conseguem financiamento por estarem com seus 60, 70 ou 80 anos e banco já não dá mais crédito”, explicou. “Precisamos cuidar dessa população com a construção de políticas para os idosos, incluindo condomínios residenciais exclusivos para essa faixa etária”, ressaltou Ratinho Júnior.


Habita Paraná

A maior parte dos recursos é do Programa Habita Paraná, lançado este ano pela Cohapar, com o objetivo de estabelecer uma política pública contínua para o setor habitacional. O programa é dividido em três modalidades, duas das quais são contempladas nos investimentos anunciados.

A primeira é a Carteira Própria, que retoma os empreendimentos construídos com recursos da própria Cohapar. Neste momento, serão 716 moradias, financiadas com custos reduzidos e condições facilitadas de pagamento. As moradias são voltadas para famílias com renda mensal de até seis salários mínimos e o investimento é de quase R$ 57 milhões. “As famílias terão 30 anos para pagar, com juros de 4% ao ano, os mais baratos do mercado na área de construção civil”, explicou o presidente da Cohapar, Jorge Lange.

Viver Mais

Já pela modalidade Viver Mais serão construídos quatro empreendimentos específicos para pessoas com mais de 60 anos, que atenderá por meio do aluguel social. Trata-se de condomínios horizontais fechados, com 40 moradias cada, para casais ou pessoas solteiras. Ao todo, serão 240 unidades, que somam R$ 14,5 milhões em investimentos.

Os projetos preveem equipamentos de infraestrutura para atendimento básico de saúde e assistência social, além de espaços de convivência e lazer à disposição dos futuros moradores. Pelos modelos dos contratos firmados com as prefeituras, o atendimento aos idosos será prestado periodicamente por funcionários públicos municipais.

De acordo com o presidente da Cohapar, também faz parte do Habita Paraná o projeto de desfavelamento que será desenvolvido em parceria com a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas. 

A previsão é atender oito mil famílias em quatro anos, com projetos de requalificação urbana, melhorias na infraestrutura e até remoção, para novas moradias, das famílias que vivem em áreas de risco ou de proteção ambiental.

Sudoeste

Coronel Vivida……………………. 21

Itapejara D´Oeste………………. 15

Manfrinópolis ……………………..10

Mangueirinha ……………………..11

Marmeleiro……………………….. 40

Salgado Filho ……………………..17

Total de casas …………………….114

Vulnerabilidade


Outras 618 unidades serão construídas em 15 municípios com apoio da Secretaria de Estado da Justiça, Família e Trabalho e participação da Cohapar. Os empreendimentos atenderão pessoas em situação de vulnerabilidade social que já são cadastradas e beneficiadas por ações sociais da pasta e residem em áreas de risco ou em condições precárias.


Graças a um financiamento obtido pelo Governo do Estado junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), os imóveis serão repassados sem custo aos beneficiários. O investimento total é de R$ 45,7 milhões.


A proposta, afirmou o secretário da Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost, é contribuir com a redução da pobreza e desigualdade social. “Estamos promovendo o desenvolvimento e a emancipação das famílias que vivem em situação de vulnerabilidade e risco social, pois são as que mais precisam do poder público para superar suas dificuldades”, afirmou Leprevost.

Fonte: Jornal de Beltrão

Gestor de SMS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *