Eles cobram a homologação da lista final de credores pela Justiça quanto aos pagamentos dos processos trabalhistas de mais de 300 pessoas

Ex-funcionários da GVA/Madeirit, uma fábrica de compensados que decretou falência em 2009, protestaram na tarde de segunda-feira (13) em frente ao Fórum de Guarapuava, na região central do Paraná.
Eles cobram a homologação da lista final de credores pela Justiça quanto aos pagamentos dos processos trabalhistas de mais de 300 pessoas.

Ao todo, são mais de 530 processos trabalhistas. Desde a falência, os trabalhadores brigam na Justiça para receber salários, fundo de garantia, verbas recisórias e outros valores.

Continua depois da publicidade



“O valor aproximado até o fim do ano passado era entre R$ 16 milhões e R$ 17 milhões somando todo o passivo trabalhista”, afirma João Maria Garcia Junior, presidente do Comitê de Credores Trabalhistas.

Segundo ele, o dinheiro para o pagamento existe. “Uma fazenda que era da emrpesa foi arrematada. Agora, beirando os 10 anos a gente está querendo uma posição definitiva do juíz e dos promotores. O pessoal já não aguenta mais esperar”, explica.

A Justiça marcou uma reunião com os representantes dos envolvidos no caso para 11 de dezembro, a fim de tentar encaminhar os pagamentos para o ano que vem.

“O administrador judicial me comunicou que há possibilidade de serem pagos todos esses valores aos trabalhadores. Porém, como há uma necessidade de se atualizar o quadro de credores, entendeu-se por bem realizar essa reunião. Creio que em breve será resolvida essa questão”, diz a promotora Renata Nascimento.

Em nota, a empresa informa que existe um valor depositado em juízo para o pagamento das dívidas trabalhistas, mas isso só poderá ser feito após a homologação da lista final dos credores que têm direito a receber.

Fonte: TJPR