O presidente Jair Bolsonaro (PSL) classificou como “terrorismo” o vazamento de petróleo na costa brasileira, caso fique comprovado que foi um ato intencional

Bolsonaro está em Pequim, na China

Ao ser questionado sobre uma publicação do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, que vincula o Greenpeace ao episódio, Bolsonaro disse que a instituição internacional “só atrapalha” o governo.

“Esse Greenpeace só nos atrapalha. Não sei o que ele (Salles) falou, tenho que conversar com ele para entrar em detalhes, mas o Greenpeace só nos atrapalha, não nos ajuda em nada”, disse o presidente, em Pequim, nesta sexta-feira (25).

Acusação

Salles voltou a atacar a organização ambiental na quinta-feira (24). O ministro insinuou que a organização poderia estar por trás do vazamento de óleo que afeta todo o Nordeste do país.

“Tem umas coincidências na vida né… Parece que o navio do #greenpixe estava justamente navegando em águas internacionais, em frente ao litoral brasileiro bem na época do derramamento de óleo venezuelano…”, escreveu, no Twitter.

O Greenpeace reagiu e disse que vai acionar, na Justiça, o ministro.

Fonte: Jovem Pan