Satélites da Nasa e da União Europeia registraram imagens do fogo que atinge parte da Grécia. O número de mortos subiu para 74. Há quase 200 feridos, muitos em estado grave.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Pelo menos 74 pessoas morreram e 156 ficaram feridas nesta segunda-feira, 23, durante os graves incêndios que atingem a Grécia, três deles nas proximidades de Atenas, a capital do país, segundo o último balanço oficial, divulgado pelas agências Reuters e France Presse. Todas as vítimas, entre as quais estão adolescentes e crianças, foram encontradas em uma área entre o porto de Rafina, a cerca de 30 quilômetros de Atenas, e Nea Makri, cerca de dez quilômetros ao norte. As autoridades declararam estado de emergência e pediram ajuda europeia para combater as chamas. Os fortes ventos, com rajadas de mais de 100 quilômetros por hora, complicam os trabalhos de extinção.

Nesta terça-feira, 24, foram encontrados corpos de 26 pessoas carbonizadas na costa de Argyros em Mati, a cerca de 15 metros do mar, segundo informou o prefeito de Rafina-Pikermiou, Evangelos Bournos, à agência estatal ANA-MPA. O presidente da Cruz Vermelha grega, Nikos Economopoulos, declarou a SKAI que o grupo, que foi encontrado abraçado, perdeu a vida quando tentava fugir para o mar. O Ministério de Previdência informou que mais de 100 pessoas têm queimaduras de diversos graus e 11 se encontram em estado grave.

As autoridades declararam o estado de emergência depois que as chamas levaram à desocupação de três vilarejos e ao bloqueio da rodovia Olympia, uma das principais vias do país, que liga a capital com o Peloponeso. A Proteção Civil pediu que os moradores do entorno das regiões ameaçadas sigam as instruções dos bombeiros e deixem seus lares. “A situação é crítica, se não obedecerem, há risco de mais mortes”, disse um porta-voz dos bombeiros ao canal público ERT. O ministro de Ordem Pública, Nikos Toskas, sugeriu que a origem dos focos possa ser criminosa.

Fonte: EL País

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.