Arqueológos descobriram objeto com brasões portugueses em 2014 nos vestígios da nau Esmeralda, mas só agora cientistas comprovaram se tratar mesmo de astrolábio, usado para medir distância do sol

(Foto: Philip Koch)

Arqueólogos descobriram o que acreditam ser o instrumento de navegação mais antigo já encontrado: um astrolábio usado pela frota do português Vasco da Gama (1469-1524). O artefato, usado para medir a altura do sol, estava nos vestígios do navio Esmeralda, que naufragou em 1503, e que foram encontrados na costa de Omã, na península arábica.

Os especialistas acreditam que o objeto tenha sido fabricado no período entre 1495 e 1500.
“É um privilégio encontrar algo tão raro e tão historicamente importante, que será estudado pela comunidade arqueológica e que preenche uma lacuna”, diz à BBC o cientista marinho David Mearns, conhecido como o “caçador de naufrágios”, que comandou as escavações aos vestígios da embarcação portuguesa.

Continua depois da publicidade



Brasão português

O astrolábio, que tem 17,5 m de diâmetro e 2 milímetros de espessura, foi encontrado em 2014 por Mearns junto a quase outros 3 mil artefatos recuperados durante uma série de mergulhos.

Mearns conta que soube que o artefato era importante quando viu que possuía dois emblemas. O primeiro, diz, era um brasão de armas português e o segundo, um emblema pessoal do rei Manuel 1º, então rei de Portugal.

Segundo o especialista, esses brasões indicam que o objeto foi produzido após 1495, porque foi quando dom Manuel ascendeu ao trono.

Após sua descoberta, o artefato foi analisado por cientistas da Universidade de Warwick, na Inglaterra, que utilizaram tecnologia a laser para identificar marcas de navegação em suas bordas, comprovando se tratar de um astrolábio.

Objeto raro

Astrolábios são relativamente raros de ser encontrados e o da frota de Vasco da Gama é o 108º a ser confirmado e catalogado.

Os objetos mediam a altura do sol acima do horizonte ao meio-dia para determinar sua localização permitindo aos marinheiros encontrar a direção em que estavam em alto-mar.

Fonte: G1