A ideia desse tipo de cultivo é produzir alimento com o mínimo de pesticidas e de consumo de água

A agricultura urbana está modificando a produção de alimentos e a levando para dentro dos centros populacionais. De acordo com o professor da Universidade de Wageningen, Jan Willen van der Schans, as pessoas que moram em cidades da Europa não estão só cultivando hortas em casa, elas estão produzindo seu alimento ao invés de comprá-lo.

“A opinião pública e os tomadores de decisões da Europa frequentemente reduzem a agricultura urbana a atividades de jardinagem comunitária. Na verdade, é mais do que isso, como foi comprovado em vários projetos e inúmeras empresas em todo o continente”, afirmou.

Para Andreas Wilhelmsson, CEO da Ljusgarda, um grupo de agricultura urbana, a ideia desse tipo de cultivo é produzir alimento com o mínimo de pesticidas e de consumo de água para vender. Segundo informações do grupo, que tem sede na Suécia, a expectativa é de que a Ljusgarda consiga inaugurar em breve um espaço de sete mil metros quadrados em um centro urbano para produzir mais de mil toneladas de vegetais.

“Nosso objetivo é produzir vegetais saborosos e de alta qualidade para que nossos clientes possam comer com a consciência tranquila. Sem pesticidas, baixo consumo de água e com energia 100% renovável e, como os clientes e a lavoura ficam dentro da cidade, evitamos longos transportes”, explicou Wilhelmsson.

Além de facilitar e encurtar as distâncias para o frete e, consequentemente, reduzir os custos com combustíveis, o CEO garante que esse processo permite que a empresa controle toda a produção. “A agricultura e ambientes controlados nos permite controlar todos os aspectos do nosso ambiente em crescimento, isso inclui nutrição, água, temperatura, luz e muito mais”, finaliza.

Fonte:Agrolink